Foto do espaço do Headquarters Beercade.
Funhouse upgraded.

Beercadification

Juntar cerveja, amigos e jogos não é mais uma receita caseira restrita àquele evento em que um grupo de amigos sem nada-mais-pra-fazer culmina: agora é a grande atração da noite.
Um bar, caverna profunda, escura e cheia de seres desconhecidos e sedentos por um sagrado líquido dourado, é o local ideal pra desfrutar desses pequenos prazeres tecnológicos. E é a partir dessa mistura promissora que os beercades nasceram.

A proposta de um beercade não é de gamificação, mas de ser um bar que alie nostalgia a uma proposta sócio-etílica colocando à disposição arcades para seus frequentadores. Pra nutrir esse espírito old school estão na lista de arcades de dois beercades gringos [Beercade e Headquarters] os games clássicos Street Fighter Alpha 3, Double Dragon, Super Mario Bros e Tetris.

Foto do espaço do Headquarters Beercade.
Funhouse upgraded.

Bem próxima a essa ideia está a companhia norte-americana de cervejas Big Boss Brewing e sua Ultimate Beer Machine. The Last Barfighter é um arcade que funciona como um grande barril de cerveja. O jogo é um game de luta no estilo tradicional: pancadaria em 3 rounds com um único vencedor. Os jogadores colocam seus copos vazios em uma base na própria máquina para começar a luta e o vitorioso terá o seu copo enchido com a cerveja da companhia. Mas, atualmente, o protótipo original é o único que existe e está em desenvolvimento. Portanto, só indo em eventos da Big Boss pra poder ter essa experiência. 

Mas, pra provar que a gamificação de um bar é possível e não precisa nem passar por esse “beerardification” ou tampouco estar presa à tecnologia, existe o Stein Club. O clube é um programa de recompensas simples: a cada litro bebido, o membro do Stein Club recebe um punch em seu cartão, o stein club card. A cada cartão preenchido, o membro recebe um prêmio e um novo cartão com mais punches a serem completados. Enquanto troca de cartão o membro vai subindo de nível até alcançar a última recompensa. Dentre as recompensas estão um chapéu e uma camiseta do clube e a mais incrível: um banquinho ou uma placa ostentada atrás do balcão do bar com o nome do realizador da façanha.

O jogo não requer nenhuma tecnologia, apenas está ligado ao esforço dos membros de continuarem com a rotina boêmia e de manterem o seu stein club card. Enquanto continuam com a rotina, têm a possibilidade de receber itens exclusivos do clube e de ter seu nome exposto em seu seleto e único Hall da Fama.

Gary Barks esteve (muito) aqui.
Gary Barks esteve (muito) aqui.