Como motivar os funcionários?

cover

Atualmente as empresas estão sofrendo com uma falta de engajamento generalizada e tentam implantar de várias maneiras, gamificação é somente uma delas, programas para motivar e engajar mais e melhor seus funcionários.

De forma geral, os funcionários respondem bem quando são recompensados de alguma forma dentro de uma meritocracia, mas é difícil elaborar uma abordagem que funcione perfeitamente com todos os colaboradores de uma empresa.

Em uma entrevista à Forbes, a professora Teresa Amabile da Harvard Business School fala sobre o aumento dos colaboradores que se definem como “desmotivados” dentro das empresas. Ao contrário do que se pensa, este não é um movimento que atinge somente os millenials, funcionários de todas as idades e de todos os níveis hierárquicos estão se sentindo cada vez mais desmotivados.

Amabile conta que a tendência que começou em 2008, no alto da crise nos EUA, hoje é ainda pior. Mesmo com a melhora da economia por lá, os níveis de desmotivação continuam baixos. E funcionários desmotivados, mesmo em um cenário econômico positivo, influenciam negativamente no crescimento e na lucratividade. Ela ainda vai além e diz que “na essência é o engajamento dos funcionários que determina o bottom line no faturamento da empresa“.

As empresas então precisam começar a reconquistar seus funcionários. Com a economia se recuperando, elas estão competindo por mão de obra especializada e investir no recrutamento e seleção destes profissionais para logo depois tê-los como funcionários desmotivados, está se tornando um custo cada vez maior para estas empresas.

Combater esta desmotivação pode ser feito de várias maneiras, mas de acordo com a pesquisa da Technology Advice que você já viu por aqui, mais de 70% dos funcionários acham que um programa de engajamento os ajudariam na produtividade e 54% disseram que elementos de game deixariam seu trabalho mais prazeiroso.

Quando analisamos a preferência por elementos dos games por faixa etária, percebemos claramente uma queda a partir dos 45 anos, mas apesar disto, uma grande parte desta geração mais experiente está aberta à gamificação. Veja o gráfico:

graph1

 

A professora resume em uma frase a oportunidade para as empresas: “A sensação de progresso é muito mais poderosa para a motivação do que recompensas financeiras”. De acordo com a pesquisa, a gamificação ajuda o funcionário a visualizar seu  progresso durante semanas, meses e anos e isto contribui para seu trabalho, ajuda a se orgulhar de tudo o que conquistou. Amabile chama este fenômeno de “O Princípio Progresso”.

Enfim, esta desmotivação geral não vai embora por si própria. Não existe fórmula mágica, mas as grandes empresas já estão procurando por soluções – temos uma de graça – e não promovendo uma caça às bruxas ou negando que o problema sequer exista.

Via HubSpot