Game on: meu sangue é rubro negro!

Um case que usa vários elementos dos games (não importa se é gamificação ou design motivacional), é a campanha do Vitória (BA) estimulando a doação de sangue.

Criada pela Leo Burnett, a ação se apoiou na paixão dos brasileiros pelo futebol e dos torcedores do Vitória. Um dia o clube começou a jogar sem o vermelho em sua camisa e o desafio foi proposto pelo clube: o vermelho só voltaria com a doação dos torcedores.

A campanha teve a voz de Wagner Moura (Leão da Barra assumido) e um site específico para mostrar os locais de doação. “O Vitória sempre deu o sangue por você. Está na hora de retribuir.” era o mote da ação.

Era esperado um crescimento de 25% nas doações e, surpreendentemente, o aumento foi de 46%. Um efeito colateral, e outra boa surpresa para o clube: a procura pelas camisas oficiais do Vitória explodiu, gerando a falta delas nos pontos de venda.

Depois da repercussão nacional e internacional, a campanha continua colecionando prêmios e acaba de ganhar um (dos dois únicos) Grand Prix do New York Festivals e promete ser sucesso em Cannes este ano.

Abaixo o videocase da campanha:

Mas o que mais chama a atenção da gente e mostra a força (e o ROI) de pensar o engajamento das pessoas usando as mecânicas e dinâmicas dos jogos: o investimento em toda a campanha foi de apenas R$30 mil…

Nada mal, hein?