Gamificação pública

Como os governos podem mudar sua imagem junto à população?

Games for Change
Games for Change

Nos Estados Unidos, Nicole Lazzaro acha que video games podem ser a solução. Lazzaro é uma game designer da California, especialista em ajudar organizações a criar engajamento através da gamificação. “Apesar dos jogos ainda serem visto como desperdício de tempo, a gamificação pode ser uma oportunidade para melhorar o jeito como os serviços públicos são feitos, aprovados, oferecidos e usados. Além disso,  jogos são sistemas auto-motivadores que podem engajar a população mais efetivamente do que uma audiência pública, por exemplo.”

De acordo com o Wall Street Journal, mais de 50 bilhões de horas são jogadas no World of Warcraft, imagine se esse nível de atenção fossem investidos em problemas reais e locais?

Nos EUA já temos alguns pioneiros. Manor, no Texas, por exemplo, usou um game on line para os cidadãos enviarem ideias para melhorar a cidade. As pessoas ganham pontos que podem ser usados nas lojas online da cidade em prêmios, incluindo ser prefeito por um dia!

Existem ainda games como o Win the White House, que ensina o processo eleitoral de lá. Ou o conhecido Civilization, usados por professores como uma alternativa para ensinar história.

Alguns games podem ser adaptados para ajudar as comunidades a atingir metas locais. Por exemplo, estimulando a competição entre dois bairros para promover um estilo de vida saudável. A campanha Let’s Move de Michelle Obama, que combate a obesidade infantil, patrocina o concurso Apps for Healthy Kids. Os aplicativos podem ser usados no combate  à obesidade infantil, aproximando as comunidades que tem objetivos próximos.

Outras metas podem ter a ajuda de técnicas de game design: redução de energia, trânsito, limpeza urbana… Na verdade, uma rede de game designers criaram o Games for Change (conhecido nosso 🙂 ), com o objetivo de mudar o mundo através dos games.

O valor de gamificar os problemas públicos, como diz Lazzaro, “é a habilidade de motivar uma ação.”

Ação. Não é isso que se espera de um governo?

via GovTech.com