Foto: Startup Tucson

Hackathon or Die

Foto: Startup Tucson
Foto: Startup Tucson

Hackathon vem se tornando uma dinâmica muito popular nas empresas de desenvolvimento de software.  Embora o termo se aplique especificamente a projetos de software, a ideia por trás do conceito é aplicável a várias áreas de conhecimento: trata-se de um evento em formato de maratona onde pessoas fazem a imersão, por um curto período de tempo (pode variar de um dia a uma semana) , em um determinado tema com a finalidade de aprender, compartilhar conhecimento, se sociabilizar e até mesmo criar produtos de verdade. Ele pode ter o nome de Game Jam quando o assunto são games, ou ainda Startup Weekend quando as pessoas se reúnem em torno do conceito da criação de empresas e ainda muitos outros.

E ultimamente estas dinâmicas vêm se tornando essenciais para as empresas e pessoas. Em algumas indústrias, saber se a empresa promove tais eventos pode se tornar um fator decisivo ao se optar por aquela oportunidade de emprego ou não. Mas por que este fenômeno ganha cada vez mais relevância para as pessoas?

Talvez a grande questão esteja no impressionante avanço da tecnologia e na consequente produção de conteúdo a ser consumido por todos nós. Poderíamos citar os números das informações novas adicionadas na Wikipedia, aos novos vídeos postados no YouTube ou ainda nas redes sociais em apenas um segundo. Ou podemos simplesmente olhar ao nosso redor e provavelmente contabilizar o número de e-mails que recebemos ao ler este artigo. Tudo isto traz uma sensação de que não podemos perder tempo, temos que otimizar a forma com que consumimos as informações mais relevantes, para assim continuarmos preparados e em sintonia com o resto da sociedade.

E o mesmo acontece dentro das empresas. Muitas das vezes a empresa não é capaz de sempre se capacitar com a última tecnologia ou tendência recém-criada em algum lugar do mundo. Certamente seus clientes também tem o mesmo tipo de problema, pois já investiram muito dinheiro em suas soluções e não podem trocá-las a todo o momento. Em outras palavras, dificilmente dentro de uma empresa você trabalhará sempre com o que há de mais recente por aí. O que pode ser um bocado desmotivante e um problema sem solução fácil: não adianta achar que pular para outra empresa vai resolver o problema, pois em pouco tempo você certamente estará na mesma situação novamente.

E é aqui que estas maratonas entram e fazem a diferença. Elas permitem que as pessoas desenvolvam trabalhos justamente nestas tecnologias ou em algo que lhes motiva sem necessariamente comprometer os resultados das empresas. Aliás, muito pelo contrário, as contribuições podem ser muito positivas para a empresa: ela contará com pessoas mais motivadas, novos conhecimentos adquiridos pelos seus colaboradores e eventualmente até bons novos produtos concebidos. Esta empresa também contará com este diferencial no processo de captação de talentos, visto que os jovens cada vez mais buscam empresas que praticam estas dinâmicas.

Mas para que um bom evento de maratona tenha sucesso  é bom observar duas dicas muito importantes:

– Realmente incentive os eventos.  Demonstre a importância daquilo para a empresa e converta o incentivo em coisas tangíveis, como ceder o local para o evento, material de apoio e também uma contrapartida com parte das horas cedidas pela empresa.

Reconheça a participação nos eventos. E não estamos falando aqui necessariamente de recompensa financeira, mas publicamente evidenciar que aqueles que participam destes eventos são colaboradores diferenciados para as empresas. Faça com que tais eventos façam parte do histórico do funcionário e que sejam consideradas nas consequências futuras, como uma promoção ou participação em projeto novo.

E ferramentas adequadas, que utilizam técnicas de gamificação, podem ajudar neste incentivo e recompensa e a realmente enraizar esta cultura de inovação dentro da empresa.

Hackathon or Die.