Outros 4 mitos sobre a gamificação

4 mitos da gamificação

Nosso amigo Karl Kapp, escreveu outro excelente artigo sobre gamificação em treinamentos onde ele mostra 4 grandes mitos da gamificação, que vale não só para treinamentos mas para o assunto como um todo.

Já falamos de sobre mitos da gamificação por aqui, mas vamos resumir esta lista do Karl aqui para vocês! =)

1. Gamificação e games são a mesma coisa

Um game tem um contexto com um início, uma jornada e um fim: as pessoas sabem que no final existe um vencedor. Jogos são ótimos para ensinar uma habilidade por exemplo.

Gamificação se utiliza de alguns elementos dos jogos. Os funcionários não “terminam” o jogo. Ao invés disto, participam em atividades que podem incluir ganhar pontos, badges e missões por exemplo. A estratégia é utilizada em situações onde a evolução é importante e o feedback contínuo.

 

2. Gamificação desmotiva os funcionários mais velhos

É um equívoco falar que pessoas de uma certa idade não gostam de games e, portanto, não vão gostar de gamificação. Do mesmo modo, está errado quem diz que pessoas abaixo dos 30 gostam de jogos e vão adorar uma estratégia gamificada. Os interesses das pessoas tem pouco a ver com idade.

É parte de um velho mito que pessoas mais velhas não jogam video games. De acordo com a Entertainment Software Association, 48% dos adultos acima dos 50 anos jogam video games. 80% deles jogam semanalmente, enquanto 45% jogam diariamente.

3. Gamificação é sobre jogos e diversão

Claro que não, é muita ciência também. A eficácia da gamificação especialmente nos treinamentos deve incluir a prática e a repetição periódica. Combinadas elas constroem a base para aumentar o aprendizado e a retenção.

A prática faz as pessoas entenderem o material passado melhor do que reler a teoria. Testes na Georgia Southern University com o professor John Dobson em 2013, confirmaram que pequenos exercícios práticos aumentaram a retenção dos alunos em 40%.

A ideia de repetição periódica é diluir o conteúdo em pequenas partes no decorrer de um período. Em 2012 pesquisadores descobriram que, para deixar o aprendizado mais perene, “estudantes deveriam ser periodicamente expostos aos conteúdos já assimilados.”

Se estiver pensando em gamificar seu treinamento, considere estes pontos já comprovados cientificamente na sua estratégia.

4. Gamificação é sobre pontos, badges e ranks

As pessoas não jogam por pontos ou badges. Elas jogam pela jornada, para serem melhores, superar obstáculos e se socializarem. As melhores estratégias de gamificação levam narrativa, resolução de problemas e feedback contínuo em sua solução. Mike Keeler, VP da Capital BlueCross, diz que a gamificação bem aplicada leva os funcionários a ficarem interessados em seu próprio progresso.

 

E você o que acha disso tudo? Concorda ou discorda? Comentae! =)

via Forbes