PlayPump: gamificação da vida real

Na África do Sul centenas de escolas não possuem água potável para suas crianças. Muitas meninas(!) eram tiradas da escola para ir buscar água potável para a comunidade.

Mas aí sempre tem alguém com uma boa ideia para servir de exemplo.

happy-faces-high-res

A Roundabout é uma organização que colocou o ovo em pé com o PlayPump, isso lá em 2008: crianças com energia de sobra pra brincar e um poço de água potável precisando de energia para bombear. O resultado é que as crianças agora fazem o trabalho de manter o suprimento de água da escola e das comunidades sem se darem conta disso, apenas se divertindo!

Casos de diarréia, desidratação e outras doenças relacionadas ao consumo de água de má qualidade despencaram onde existe a PlayPump. Sempre que um novo poço é feito, a organização faz testes químicos e bacteriológicos para garantir que a água é potável. As meninas(!) voltaram a estudar e todas as crianças agora adoram ir pra escola para aprender e, óbvio, brincar no PlayPump. Veja o vídeo:

Se você gostou do projeto você pode ajudá-los aqui (escolha o projeto PlayPumps). Eles tiveram (mais) uma boa ideia vendendo espaço publicitário no reservatório de água, mas cada instalação dessa custa em média U$10.000 dólares. O que é uma pechincha pelas vidas que estão salvando e melhorando.

É um alegre exemplo de que gamificar não é só usar tecnologia de ponta, redes sociais, checkins e celulares: é um modo de transformar as coisas chatas e necessárias em coisas divertidas e igualmente necessárias.