Qual o retorno nos treinamentos corporativos?

Mundo corporativo

Conrado Schlochauer é sócio da Affero Lab e falou sobre treinamentos em um papo bem bacana com Milton Jung no Mundo Corporativo da CBN.

O modelo clássico de treinamento onde o colaborador é “convocado” – como no exército – para participar já não funciona mais. A ideia de eleger um dono do processo de aprendizagem e fazer com que ele despeje o conteúdo para os alunos é tão arcaica quanto a própria educação no Brasil. O conteúdo deve ser o meio para aprender e não o contrário.

Uma das grandes motivações que Conrado ressalta é a vontade de melhorar – falamos na última semana – e o conteúdo só vai despertar o interesse do funcionário se permitir que ele aplique estas teorias em seu dia a dia. É nisto que está o retorno de qualquer treinamento.

“É engraçado que ninguém pergunte sobre o ROI do jurídico ou da tesouraria.”

 

Conteúdos intermináveis também não funcionam mais. Hoje, com smartphones e tablets, os funcionários conseguem consumir pílulas de conteúdo em seu próprio device a qualquer momento. Quando alternamos ainda estes estímulos com gráficos, leituras e quizzes, aumentamos ainda mais o interesse do funcionário.

Por fim, Conrado ainda cita a gamificação como uma importante ajuda neste processo, “mas não é uma solução mágica” completa. Sem banalização e super valorização, utilizar corretamente os elementos dos games só vai contribuir com aprendizado nos treinamentos corporativos.

Assista a entrevista que ficou bem bacana!